quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

HISTÓRIAS DO CATANHA - CAPÍTULO I



Considero o José Carlos Cantanhede, o Catanha, um dos maiores pilotos brasilienses que habitou a Capital Federal.
Fizemos um contrato sigiloso e milionário e ele será o primeiro colunista do Mocambo Blog e contará toda a sua vivência no automobilismo brasiliense e brasileiro desde quando começou a correr de fusquinha nas ruas de Brasília, as aprontações que eles faziam juntamente com outros pilotos e um tal de “Nelsinho” que pegava carros "emprestados" para começar a sua brilhante carreira no automobilismo brasileiro e mundial.
O primeiro Capítulo, na realidade, é uma apresentação dos causos que ele contará aqui.

"As histórias do Nelsinho, quando quiser saber, eu te conto desde o motor que ele fez na CAMBER com um virabreco que era do PT OK do Escovão (Luiz Estêvão) que corria com o Alex, e fundiu uma biela e ele levou no Jorge Papas, que tinha oficina de Vemag com motor 2 tempos com o virabreco roletado. O Jorge recuperou e o Nelson fez um motor com peças usadas que o Zeca Vassalo deu pra ele. Tinha motor, mas não tinha carro, pegou o carro VW azul da Gerusa, irmã dele, e foi fazer uma prova de estreante em Goiânia chegando em segundo atrás do Opalão, preparado pelo Wander da Motorauto de BH, pilotado pelo Nelson Vaz de JF.
A segunda corrida foi em BH com o carro da mãe do Alex que estava na CAMBER pra revisão. Eu insisti com ele pra correr em BH na categoria 1600, tinha um bom premio em dinheiro e os pilotos e equipes ficavam hospedados no Mineirão. Eu estava em primeiro e travou a segunda do cambio P3 feito pela Puma. Parei no BOX e o Pedrão falou pra eu voltar assim mesmo. O cambio esfriou e soltou a marcha e ainda cheguei em segundo. Eu de 1600 e o Nelson com um 1900 com virabreco roletado.
 
 
O carro VW preto, o assadinho, porque tinha pegado fogo, do Waltinho Ferrari da Ideal, eu era amigo do Waltinho, ajudava a fazer o motor, e o Nelson pediu pra eu pegar emprestado pra gente correr a 1600 em Sampa, o Nelson só tinha motor, não tinha carro. Essa foi a terceira corrida do Nelson. O Arai de Paula Xavier Veja aqui a sua emocionante história era que guiava. Tinha um cambio de seis marchas sem a ré. Fomos pra Sampa e no meio do caminho caia pedaços de ferrugem do teto e tivemos que colocar os capacetes. Tem mais histórias dessa viagem, mas isso fica para o próximo capítulo".

Catanha, estamos no aguardo do próximo capítulo. Aliás, vocês pilotos têm tantas coisas para contar.  Vamos colocar aqui no Blog. O convite está feito para quem quiser. .

Nota do blog: estou em Goiânia para tratamento de uma conjuntivite virosa e muito forte, pois  faz duas semanas que estou em tratamento e ela continua a pertubar. A claridade prejudica e muito a leitura.

11 comentários:

  1. Fabiani C Gargioni #2714 de fevereiro de 2013 20:18

    Parabéns à vc e ao Catanha Jovino pelo contrato "milionário" e quem sai ganhando é a gente com estas maravilhosas histórias, valeu estou ancioso pelos próximos capítulos!!!

    ResponderExcluir
  2. Fabiani C Gargioni #2714 de fevereiro de 2013 20:20

    Desejo melhoras Jovino!!!

    ResponderExcluir
  3. Vou ficar na bandeirada esperando todas essas histórias do mano Catanha contada por você Neto.
    Saudade da minha rabeta comprada do Luiz Nelson vinda do Waldir.
    Tempo bom.

    ResponderExcluir
  4. É por isso que o Catanha abandonou a "Turma dos Desocupados" daqui do RJ... Está escondido e tornando-se narrador de histórias "top secrets" da década de 70 para o Blog do Mocambo... Se ele falar muito o bicho vai pegar, pois ainda sabe de muitas coisas da época do Mocambo da W-3 Sul 507(inclusive acho que sabe pilotar)...rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Melhoras meu blogueiro e dileto amigo... Quero te ver em Interlagos dia 23.2... Vou mandar uma foto do "Zeca Catanha" na época do Fórmula Ford para ele comentar...Abração forte e saúde para ti.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom grande Catanha. Lembro-me bem da corrida do Mineirão. Ficamos hospedados mesmo no Mineirão.
    Vou acompanhar atento os seus "causos".
    abs
    Zarur

    ResponderExcluir
  7. Mestre Zarur, bem que você poderia nos brindar com aquela história da viagem com a Kombi cheia de gasolina azul que vocês foram parao Rio deJaneiro.Vamos mostrar para esta galera jovem o que era locura naquela época maravilhosa. Não sei se poderei fazer um contrato miionário com você, mas pagarei em Jetons. Jovino

    ResponderExcluir
  8. Putz! Catanha vai falar hahaha! Vai ser muito bom!

    ResponderExcluir
  9. Sem querer ser chato e já sendo, mas essa primeira corrida do Piquet não teria sido em Anápolis em 1971 ? Lembro dele correndo neste fusca e do Opalão do Nelson Weiss.Aliás, nesta corrida o Piquet deu uma saída de pista, espantando a galera e dizem, que machucou algumas pessoas, mas sem maiores gravidades.

    ResponderExcluir
  10. Joaquim, não sei,mas se encontrar o Piquet neste final de semana,pergunto para ele. Jovino

    ResponderExcluir
  11. Vou ficar no aguardo de novas histórias do Zé Catanha .......

    ResponderExcluir