sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

DO BAÚ DO CATANHA

Mais fotos disponibilizados pelo Catanha para o Mocambo Blog.

Já falei aqui da admiração que tenho pelo Catanha, pois, para mim, foi um dos maiores pilotos brasilienses que vi correr.

São provas em que ele participou na década de 70, como os Mil quilômetros de 1975 e 1976, além do Torneio sulamericano promovido pela Ford com pilotos nacionais e internacionais.




Aqui o Catanha fazendo dupla com o suadoso Paulo Guaraciaba




Mil quilômetros de Brasília de 1975. Catanha sendo carregado depois de sua grande atuação.




Quem se lembra dos refrigerantes Crush. No final da década de 60 era a Crush um dos patrocinadores dos Mil quilômetros de Brasília..


Alguma prova local na década de 70



Catanha e o Ruyter Pacheco recebendo o trofeu. O Ruyter parece o Piquet.



Quinhentas Milhas de Interlagos, São Paulo em 1975



Catanha no Torneio Sulamericano de Turismo promovido pela Ford para divulgar os Mavericks 4 cilindros. Quem venceu o campeonato foi o José Carlos Pace em 1975.


Veja o vencedor desta prova, José Carlos Pace com Clóvis Moraes, Pedro Muffato e Artur Bragantini


Mil quilômetros de Brasília em que ele marcou a Pole e chegou na terceira colocação. Esta foi uma prova em que ele liderou grande parte e só não venceu porque teve um problema de freios e perdeu muito tempo nos boxes.



Catanha e Paulo Guaraciaba.

14 comentários:

  1. Comentário da Claudia Bicalho encaminhado para o meu email:

    "Helinho, (Catanha e Jovino),
    Adorei o Blog. Fiz uma viagem. Relembrei velhos tempos maravilhosos. Jamais esqueço que desde pequeninha (o que ainda sou até hoje) papai me levava para ver as corridas de rua em Brasília. Lembro bem do Mario Olivetti, Lela Gancia, Emerson Fitipaldi, etc. Essas corridas do Catanha, meu etrno amigo e irmão, eu me lembro muito bem. Tentei fazer um comentário no Blo0g mas não consegui. Eu tinha muitas fotos daquelas épocas mas dei tudo para o Ruyter e para o Luis Estevão (escovão) pois era mais deles do que minhas apesar de ter fotografado. Segue uma foto do Marcos Ciranka, duas do Paulo Otávio e duas do Beto Toscano todas da decada de 60 ou 70. Beijos para vocês,

    Cláudia Bicalho"

    ResponderExcluir
  2. Em tudo é assim, mas especialmente no Automobilismo, uma imagem vale por mais de 1000 palavras...grandes fotos Jovino!

    ResponderExcluir
  3. Jovino
    A idade é avançada, portanto me lembro do refrigerante Crush. Rs,rs,rs.

    E o Ruyter Pacheco se tirasse o bigode e iria ficar mais parecido com o Piquet.
    Abraços.

    Primo
    Quem é você aí?

    ResponderExcluir
  4. Oi Sidney. O Primo é um dos titulares do "Comparsas do Blog" o famoso Sergio Falque.
    Jovino

    ResponderExcluir
  5. Jovino, esta foto onde aparece um Alfa Romeo 2300 pode ter sido em uma das edições dos 1.000 KM (Sou péssimo em datas) onde foram inscritos dois por uma equipe chefiada pelo Norman Casari e a Ford retrucou inscrevendo dois Maverick 4 cilindros na classe B (1.601 a 3.000 cc. O fato inusitado é que em plena reta um Ford Maverick que descia a reta já bombando freio teve uma das rodas traseiras travadas e ao rodar em foi abalroado pelo meio bem em frente aos boxes.

    ResponderExcluir
  6. Jovino,

    A foto #4 é dos 1000 km de Brasilia de 1975 e não de uma prova local. Na frente o Maverick V8 da Madeireira S. Jorge (não me lembro o nome da dupla, acho que era José Pedro Buscki/Constantino Andrade, mas não tenho certeza agora), segudo do Alfa Romeo 2300 vencedor da Classe B com José Roberto Nasser e o petropolitano Aloisio Kreischer. Mais atrás o Opala 250S da Tecnomotor de Curitiba, pilotado pelo Carlos Eduardo Andrade e Celso Frare (ou a outra dupla Edson Graczyk/Oswaldo Carpes).

    ResponderExcluir
  7. Falta de atenção, o Maverick da Madeireira S. Jorge era o do Catanha. ô cabeça...

    ResponderExcluir
  8. MESTRE JOCA, então minha observação acima está correta!

    ResponderExcluir
  9. O Maverick do Arros Olinda era da Dupla Catanha/Laurindo que fez a pole e questionaram bastante mas era real.

    ResponderExcluir
  10. Roberto, o maveco da arroz olinda do catanha e do laurinho foi no mil quilômetros de 76 quando eles fizeram a pole e chegaram na 3ª colocação. Segundo o Catanha, o Greco e a Ford tinham muito poder e não aceitavam que a equipe brasiliense fizesse a pole e só não venceram por um problema nos freios do caro do Catanha. Eu assisti esta prova ao vivo.
    Joaquim, é por falta de atenção minha, pois eu tenho anotado lá em casa que a prova era mil quilômetros e não prova local, mas eles também corriam provas locais com este carro.
    Jovino

    ResponderExcluir
  11. Aliás, as fotos que a Claudia Bicalho me passou será motivo de um ótimo Quizz amanhã.
    Jovino

    ResponderExcluir
  12. Jovino
    Sabia que o primo é um dos titulares dos Comparsas do blog, mas jamais imaginei que fosse o Sergio Falque.
    Obrigado pela informação.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Adorei as fotos e relembrar estas corridas, um sonho.
    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir