segunda-feira, 4 de junho de 2012

POLÊMICA NA "CURVA DO CAFÉ"

Recebo email do "Comendattore Ceregatti", um grande apaixonado por Interlagos, indignado com mais um "desmando" da CBA quando eles enviaram um ofício (mais abaixo) comunicando com poucas linhas que todas as provas disputadas em Interlagos a partir de agora deverão passar pela tal "Chicane" que foi criada para conter a velocidade das baratas depois de alguns acidentes mortais na chamada "Curva do Café".
O interessante é que a nova medida da CBA só vale para as competições nacionais, mas a Formula 1, não. Porquê será!!!
Com a palavra "Ceregatti".

"Como assim?
Três linhas só?
“…informamos que é obrigatório…”????
Poxa vida, Sr. Pinteiro… Já experimentou contornar aquele arremedo de curva?
Dar na zebra, perder a frente, se espremer na saída e rezar para não alavancar a traseira de frente para o muro, com o carro desequilibrado?
Aquilo não é uma chicane. Nunca foi. É (mais um) erro gigantesco do Autódromo de Interlagos nessa gestão, um equívoco injustificável. Fora mais um estupro de uma pista já mutilada há muito.
De fato é um arremessador de carros, um desequilibrador estático, pronto para punir a pilotaida mais afoita.
De nada serve: reduz de fato a velocidade na aproximação da curva do café (quem inventou esse nome, pô? Por toda a vida foi a subida dos boxes, até isso mudaram…).
E justamente logo após a “nova junção”, detonando todo um trabalho pela pista inteira para preparar uma ultrapassagem lá na frente. Bem no meio, uma brochada… Não tem a menor graça.
Se fizer “na mão” e lançado a junção, na hora de sair de trás do oponente dá de cara com a tal “lamentável chicane demolidora de habilidade”.
No caso do Campeonato Paulista, a coisa piora muito em relação a outros campeonatos com pilotos profissionais, como Stock Car e outros que se utilizam dela.
Noventa e nove por cento ou mais de quem corre no paulista é gentleman driver, que não treina, que não está preparado para reagir a uma chicotada de frente ou de traseira, desequilibrando o conjunto. Além do que afunila tudo ali.
No lugar de se evitar acidentes, proporciona meios para que ocorram.
Não nos esqueçamos que o muro atual é igualzinho da Formula Indy, mais absorvente que OB. Mais macio do que seda. E os pneus que travavam o carro que escapava, agora não estão mais lá, portanto… Tá tudo no jeito para corridas seguras.
Na mutilação do Templo, não sobrou nenhuma curva de alta, como as originais 1, 2, 3, 4, subida do lago, curva do sol, junção e curva dos boxes (que virou café) originais…
Uma que se tornou de média velocidade agora desejam assassinar também? Nenhumazinha curvinha de alta, pô?
Peço encarecidamente que se revogue tal determinação.
Na próxima quinta, dia 7, treinarei novamente no Templo de Formula Vee. Não quero moer a suspensão, nem estressar o chassis para vir tempo, voando sobre uma zebra que é uma verdadeira catapulta. Além de perder a referencia da pole da última prova, Sandro Freitas virando 2.04.615.
Também não quero ver chegar a tal em terceira de cano cheio, ter de levantar o pé, e depois ter uma lenta retomada de velocidade em quarta, com o cambio original VW.
Peço que os pilotos que aqui lêem se manifestem, mandando e-mails diretamente ao Sr. Pinteiro. Você poderia achar e publicar, né não, FG? Assim a gente pede a ele diretamente, sem escalas, tentando sensibilizá-lo.
De minha parte, já liguei pra ele, pedindo e insistindo.
De brinde, aí vai o telefone celular do nosso presidente: (81) 9971-8587
Movam-se, pilotos mudos!
Ou vocês acham que se a gente ficara parado algo cai do céu?
Mexam-se!!!!


Abaixo a opinião do jornalista especiailzado em automobilismo, Flávio Gomes.

"Acho uma merda. Essa chicane nem para Stock e outros serve. As batidas no Café acontecem muito mais por imprudência e imperícia dos pilotos do que pela natureza da curva. No ano passado, quando Sondermann morreu, todos os próceres de Interlagos e do automobilismo brasileiro posaram para fotos onde seria derrubada a arquibancada para a construção de uma área de escape.
Não derrubaram a arquibancada e não fizeram a área de escape, claro. Mas todos saíram nas fotos, com ar compungido".
O Ofício da CBA
Abaixo, fotos da "Curva do Café" desde a sua criação, a trocentos anos atrás.
"Curva do Café". Uma Carreteira, acredito ser na década de 40 ou 50.
"Curva do Café". Década de 60. Me parece Simca ABART do Jaime Silva, Gordini do Lapagesse, entre outros.
"Curva do Café". A trinca dos KGs da equipe DACON, também, no final da década de 60
"Curva do Café". Anos 70. Me parece a a Lola T70 Mk 3  da equipe Brahma disputando a Copa Brasil!
"Curva do Café". Final dos anos 60 e início dos 70. BMW, AC Volkswagem e possivelmente o puminha de Angi Munhoz!!!
"Curva do Café". Também década de 70, Porsches, Lola T 210, Lotus, e outros protótipos.
"Curva do Café" nos anos 70. Heve de Muricio Chulan, o protótipo Camber de Alex e Luis Estêvão,  o  AC no final, etc.
"Curva do Café". Divisão 1, também acredito ser no final dos anos 70.

As fotos me foram encaminhadas pelo Ceregatti e algumas são do grande fotógrafo Rogério P.da Luz.

6 comentários:

  1. Fabiani C Gargioni #274 de junho de 2012 21:39

    "Il Comendattore" Ceregatti está coberto de razão"mais um estupro" no já "dilacerado" Interlagos, uma pena!!!

    ResponderExcluir
  2. Sei que foi um lapso, mas os Kags
    eram da Dacon de Paulo Goulart e não da Greco.

    ResponderExcluir
  3. Sim Anônimo, já fiz a alteração, inclusive outras que havia passado.
    Jovino

    ResponderExcluir
  4. Fabiani C Gargioni #275 de junho de 2012 22:03

    Jovino, eu "surrupiei" as fotos dsa CARRETERA e dos Maveckos!!!

    ResponderExcluir
  5. Polêmicas a parte, as imagens são lindíssimas!

    ResponderExcluir
  6. Cada foto mais fera do que a outra .......

    ResponderExcluir