quinta-feira, 20 de setembro de 2012

LA MISIÓN ARGENTINA, 1969

A matéria abaixo é do Blog do meu amigo Mestre Joca sobre a famosa 84 Horas de Nurburgring, a mais longa corrida de endurance, realizada em 1969.

O representante argentino o Torino 380W chegou a liderar por 67 horas e só perdeu a prova por causa de uma punição que os Argentinos não engolem até hoje.

Mas  vamos ao relato do Mestre Joca:

"Um dos grandes prazeres que tenho neste espaço é quando os blogueiros sugerem e fazem a pauta do blog. Um dos mais assíduos é o misterioso Mr. M., que desta vez me encaminha material sobre talvez o maior feito internacional do automobilismo argentino, a participação de três automóveis Ika-Renault Torino 380W nas famosas 84 Horas de Nurburgring, em 1969. Relembremos então:

O Ika Renault argentina lançara o modelo Torino no final de 1966 e, apesar da excelência do carro, vendera pouco mais de 15.000 unidades em três anos. Num esforço de marketing encomendou a preparação de três Torino 380W ao mago Orestes Berta para participar das famosas 84 Horas de Nurburgring, a maior prova de resistência para carros normais de série (grupo 1) ou com preparação (grupo 2 e 3 FIA).


O Torino 380W em preparação na fábrica argentina.  





O embarque dos três Torinos para a Alemanha.

A equipe teria como chefe o lendário pentacampeão argentino Juan Manuel Fangio que comandaria seu sobrinho Oscar "Cacho" Fangio em dupla com Luis di Palma no carro nº1; Carmelo Galbato, Gastón Perkins e Jorge Cupeiro dividiriam o nº2 e o nº3 seria pilotado pelo trio Eduardo Rodriguez, Eduardo Copello e Oscar "Larry" Franco.

A concorrência era respeitável: Mercedes benz 220, BMW 2002 TI, Lancia Fulvia, Porsches 911, Volvo 142 e Triumph TR5 eram os principais oponentes do carro argentino. E eles não fizeram feio com seus motores de 3.8 litros, seis cilindros em linha, três carburadores Weber 45 horizontais, debitando coisa de uns 250 HP, e o acerto mágico de Orestes Berta.

O Torino #3 que ganhou mas não levou....

Apesar dos dois primeiros Torino desistirem por problemas mecânicos, o nº3 depois de exatos 9.119 km e 322 voltas no circuito de Nordschleife, terminava em quarto lugar na geral e primeiro na categoria, depois de liderar por 67 horas a competição e ser penalizado nas últimas horas em cinco voltas por reparos no escapamento. Mesmo assim foi o carro com o maior número de voltas completado, derrota que até hoje os argentinos não engolem muito bem.

Os Torinos 380W em Nurburgring

A prova foi inteiramente transmitida via rádio por toda a Argentina e, com sua proverbial verve melodramática, os locutores iam narrando as peripécias da corrida hora a hora, o que transformou a participação dos Torinos em verdadeiro épico e provavelmente o maior feito de um carro latino de série numa competição de caráter internacional.
 

Consagração de carros e pilotos em Buenos Aires.

De volta a Buenos Aires, carro e pilotos foram recebidos como verdadeiros heróis, com direito a passeata pelas ruas da capital portenha. Daí, começa a segunda novela, o fim que levou esses famosos carros. O Museu Fangio, em Balcarce, alega ter o autêntico Torino nº3, que venceu moralmente em Nurburgring e o expõe ao público, inteiramente restaurado.
 

Réplica construída sobre o primeiro Torino argentino.

Já o Torino nº2 desapareceu por completo, no seu lugar foi feito uma réplica utilizando para tal outro carro histórico, o primeiro Torino 380W construído na Argentina! Já sobre o Torino nº1 recaem as maiores dúvidas, com dois colecionadores argentinos clamando a posse do carro verdadeiro.

No momento que se aproximam as comemorações dos 40 anos do grande feito em Nurburgring, as polêmicas sobre a autenticidade do Torino 380W nº1 tomam o centro das discussões dos colecionadores e preservacionistas da história do automobilismo argentino".

Imagens raras desta prova no video abaixo: achei interessante estas duas partes das 5, a 4ª e a 5º, mas todas estão no You Tube.

Mas como o automobilismo naquela época mexia com o povo. Os pilotos e equipes são recebidos como heróis na argentina.


 


 

4 comentários:

  1. Fabiani C Gargioni #2720 de setembro de 2012 19:45

    E Jovino, isto apenas é uma prova da força do automobilismo Argentino,eles estão à nossa frente no mínimo uns 30 anos.Na minha humilde opinião eles fazem o melhor automobilismo do planeta!!!

    ResponderExcluir
  2. Fabiani C Gargioni #2720 de setembro de 2012 20:23

    Jovino, me esqueci de comentar acima, as rodas será que são as antigas gauchinhas??? São bem parecidas. Será que teve a participação de algum Brasileiro???

    ResponderExcluir
  3. Buenas!

    Gostei da vossa lembranlça.
    Todasa as manhãs acesso o blog.
    Se efetuares uma busca, existem inúmeras reportagens sobre o feito na internet.
    Um dos carros foi encontrado em um terreno baldio. Eu costumo coletar fotos que gosto, de carros e de corridas, e gravo em CD. Tenhgo algumas imagens do carro no estado em que foi encontrado.
    Só para complementar, um dos carros saíu da pista, devido a aquaplanagem e ficou entalado entre a pista e a grama, como não podiam ter auxílio externo, o piloto não consegui sózinho fazer o carro retornar para a pista e abandonou. Poucos dias atrás li um artigfo em que o piloto conta o fato, não lembro o nome dele.
    Abraço forte.
    Pedrão-SMO

    ResponderExcluir
  4. Oi Padrão, obrigado pela presença aqui.
    Se você tiver fotos raras desta prova ou outras e quiser me encaminhar com informações, postarei aqui no blog. O meu email é: jobenevenuto@hotmail.com.
    Abs. e obrigado.
    Jovino

    ResponderExcluir