domingo, 5 de maio de 2013

COPA CLASSIC GAÚCHA

Copa Classic Gaúcha reúne 33 carros clássicos para a etapa que foi a preliminar das 12 Horas de Tarumã realizada no dia 08 de dezembro de 2012.
Esta é uma categoria que estamos lançando em Brasília futuramente, provavelmente, ano que vem, e, como dito no post sobre a Classic Brasiliense, já começaremos inserir alguns carros que estão prontos nas provas de Track Day de carros antigos este ano para incentivar possíveis pilotos a voltarem a competir neste nova categoria.
Além da Copa Classic do RGS existem também em São Paulo e em Santa Catarina e já recebemos o apoio do Niltão Amaral, um dos Coordenadores da Copa Classic do Rio Grande do Sul.
Na Copa Classic Riograndense, além das categorias A, B e C que são mais limitadas com pneus radiais, existem também as categorias FL1 e FL2 que permitem o uso de pneus Slicks e aerodinâmica nos carros (aerofólios e spolios), isto, segundo o nosso amigo Niltão Amaral, fez com que o gride aumentasse porque deu chance para carros que estavam parados da antiga D3 gaúcha e que estavam excluídos das provas, pudessem voltar a competir.

Abaixo, vídeo do Programa Curva do S com a prova que foi preliminar das 12 horas de Tarumã do ano passado e fotos dos carros e de provas desta categoria.


Tem até um Mini Cooper Correndo. Mais no final do vídeo dá para ver ele correndo.
Veja como é bonita a categoria. Opala que corriam na antiga Stock Car, fusca, DKW, Galaxie, Corcel, Puma, Mini, etc....
O Passatinho TS abóbora, um dos mais bonitos da categoria. (nós já temos o nosso aqui)
 Galaxie com spolio e estilo Formula 5000 paulistana da década de 80
 Puminha (já temos um também)
 Mini Cooper. Será convidado o nosso amigo Juarez Cordeiro a colocar o seu Mini nas corridas.
 Como é bonito os carros da Copa Classic acelerando.
 O puminha branco anda bem e estava liderando a prova
 Ouvir o ronco de um Maveco é algo maravilhoso
 Até uma carretera gaúcha também participa do campeonato.
 Um Fiat Caixotinho que lembra a pintura do Lotus que o Emerson foi campeão
 Não tem preço a imagem da foto. É como se estivéssemos vendo provas do início dos anos 60 e 70.
 Este Passat acredito que foi inspirado nos carros lá de Petrópolis da equipe Refricentro
 Carreteira, Galaxie e DKW. Três gerações de carros de distintas épocas do nosso automobilismo. Não tem preço também.
 Duas máquinas difíceis de serem tocadas, mas os pilotos são bem machos para segurar a bagaça.

CLASSIC CUP BRASILIENSE

As empresas que já estão apoiando a Classic Cup Brasiliense são estas:

M2 Design Gráfico/Impressos, Old Design Acessórios para Autos Antigos, Reforcel Escapamentos, Cromagem Manzi, Sulam Blindagens e Bancos de Competição, Pneulândia, ARTGRAFH, http://www.aparenciadocarro.com/, Veteran Car Clube de Brasília e Mocambo Blog.

Estamos precisando da confecção de Santo Antônio para um Puma e para o Passat. Quem se interessar na parceria é só nos contatar.

5 comentários:

  1. Como sugestão (serve para o pessoal do Sul e de São Paulo): ficar criando categorias e subcategorias afasta o público. Só serve para piloto pegar troféu. Com a quantidade desses grids, 2, no máximo 3 categorias, está bom demais.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo, a nossa Classic Cup só terá uma categoria e a mais limitada nos custos, como descrito no post anterior sobre a classic brasiliense. Jovino

    ResponderExcluir
  3. Também concordo, porque ficar criando sub categorias se a corrida com 30 , 40 carros é muito mais bonita que um grid de 10.

    ResponderExcluir
  4. Fabiani C Gargioni #276 de maio de 2013 23:56

    Aqui em Sta Catarina na terra só temos duas categorias, a TCC(Turismo Clássico Catarinense) "A" e "B" e concordo com vcs!!!

    ResponderExcluir
  5. A ideia das divisões em categorias é equilibrar as disputas e permitir que outros carros participem. DKW original contra Maverick V8 tem muita diferença. No caso da Classic gaúcha, foi uma necessidade para poder acomodar os carros que já vinham participando em provas paralelas.

    ResponderExcluir