quarta-feira, 24 de outubro de 2012

GP DE FORMULA 1 DE BRASÍLIA NA INAUGURAÇÃO DO AUTÓDROMO

Inauguração do Autódromo Internacional Nelson Piquet (na época, apenas Autódromo de Brasília) em 1974 numa prova extracampeonato quando, uma semana depois do GP Brasil de Formula 1 realizado em Interlagos, a Formula 1 desembarcou na cidade para a prova que o homogaria na condição de "Internacional".
 
No raríssimo retrato abaixo, que me foi gentilmente encaminhado pelo meu amigo Serginho Slaviero, Wilsinho Fittipaldi (se não me falha a memória, o 2º colocado nesta prova, atrás apenas do vencedor o seu irmão Emerson Fittipaldi) se prepara para a largada da prova e o autódromo literalmente cheio.
 
Repare no patrocinador do Brabham de Wilsinho Fittipaldi, é a "Slaviero" do Serginho, tradicional revendedor Ford de Brasília há muitos anos.
 
Desde já, agradeço ao Serginho que está ajudando a resgatar  a história do automobilismo brasileiro.
 
E tem mais ainda!!! Brevemente, provas filmadas em Super 8 (colorida) de provas no Pelezão e dos mil quilômetros de Brasília de 68 e de 70 na ruas de Brasília.
 
 
No detalhe do patrocinador "Slaviero"
 

5 comentários:

  1. Jovino,

    sensacional o post...

    um grande resgate da história de nosso automobilismo...

    abs...

    ResponderExcluir
  2. André, foi um grande acontecimento aqui em Brasília na época. Eu estive lá no autódromo durante o dia vendo os treinos lá dentro do padock e no domingo assisti a corrida no elevado 2. A foto realmente é muito rara pois não existe quase material nenhum disponível desta prova. Jovino

    ResponderExcluir
  3. Fabiani C Gargioni #2725 de outubro de 2012 20:14

    Legal Jovino, este tempo a F1 era menos burocrática e bem mais "corrida de carro", bela postagem e estou ancioso pelas outras imagens!!!

    ResponderExcluir
  4. Vocês viram que a Goodyear tá dando ingressos pra ficar no camarote da Stock Car aqui em Brasilia?
    Não custa nada tentar... rs rs

    https://www.facebook.com/goodyearbr/app_540801342600444

    ResponderExcluir
  5. Memória falha mesmo, segundo foi o Sul africano Jody Schekter, terceiro o italiano Arthuro Merzário. O roda presa do Wilsinho como sempre chegou lá atrás, em nono lugar em uma prova com apenas 12 carros, sendo que 3 quebraram.

    ResponderExcluir